• about me
  • menu
  • categories
  • Emy Teranishi

    Emy Teranishi

    A menina que cresceu sonhando em ir para Hogwarts. Agora, aos 27 anos, só quer descobrir como ser ela mesma num mundo cheio de padrões. Escreve porque os pensamentos transbordam e lê porque os livros são seu refúgio. Mãe de uma menina, dois cachorros e muitos sonhos. Sinta-se em casa e não repara na bagunça, a mudança é constante por aqui ♥


    Entre alguns títulos que recebi da editora PenDragon, esse com certeza foi o que mais me chamou atenção. Há inúmeros motivos para elogiar essa obra (e olha que eu li apenas os três primeiros capítulos!): antes de mais nada, a capa está LIN-DA! É inegável, sempre vamos olhar com mais atenção aquele livro que tem uma capa bonita. Depois de admirar a capa, vem a diagramação e a escrita do autor. Não é cansativa, tem um ritmo bom e com certeza o Fabrício soube atiçar a curiosidade e, consequentemente, a vontade de descobrir mais sobre os sonhos misteriosos e realistas que nosso protagonista passou a ter depois de presenciar a queda do meteorito.

    Acredito que a habilidade do autor de descrever tão precisamente os detalhes, mas de uma maneira que não seja exaustiva é um ponto muito forte do livro. 
    Outro fator muito importante é a sintonia entre o protagonista e seus amigos, o que faz a gente sentir empatia por eles. Anthony, ou apenas Tom, é filho de um americano com uma brasileira. Ele mora nos Estados Unidos com os pais e os irmãos e por ter essa mistura, sofre com preconceito no colégio. E esse "deslocamento" é o que une Tom e seus amigos: Leo, Julia e Natasha. Na aparência, todos podem ser bem diferentes, mas a amizade é verdadeira e muito forte.

    Eu sinto muito potencial nessa história e quero muito poder descobrir o que vai acontecer na vida de Tom e seus amigos depois da tragédia que acontece no terceiro capítulo. Pois é, não basta sofrer preconceito por ser mestiço, algo de muito ruim acontece na vida de Tom e é aí que fica o mistério: como tudo isso vai acabar?

    Deixo abaixo a sinopse do livro e o link para quem quiser adquirir o exemplar e me contar o que acontece. (mentira, eu não quero spoilers).

    "Após anos se sentindo um completo estranho, Anthony pensa que poderá deixar o passado para trás ao ir para a faculdade. Tudo parece perfeito até que, durante um acampamento, ele e seus amigos presenciam a queda de um meteorito. Agora em posse de um colar feito de rocha estelar, Anthony passa a ter sonhos cada vez mais realistas com um mundo fantástico e sombrio, dominado por um Imperador que usou ciência para conquistar um reino antes repleto de magia.
    Neste mundo ameaçado, a magia está se esvaindo desde que os Titãs foram aprisionados nos céus por um feitiço que utilizou o sangue da fênix, a criatura mais poderosa do universo. Agora, com a ajuda de um grupo de aliados improváveis, Anthony tem a missão de romper os selos da fênix e descobrir quem ele realmente é"

    E aí, o que acharam da premissa? Alguém já conhecia esse livro?
    Beijinhos e até a próxima
    . 11 de jul de 2018 .

    O Selo de Bartholomeu

    popular posts

    . 11 de jul de 2018 .


    Entre alguns títulos que recebi da editora PenDragon, esse com certeza foi o que mais me chamou atenção. Há inúmeros motivos para elogiar essa obra (e olha que eu li apenas os três primeiros capítulos!): antes de mais nada, a capa está LIN-DA! É inegável, sempre vamos olhar com mais atenção aquele livro que tem uma capa bonita. Depois de admirar a capa, vem a diagramação e a escrita do autor. Não é cansativa, tem um ritmo bom e com certeza o Fabrício soube atiçar a curiosidade e, consequentemente, a vontade de descobrir mais sobre os sonhos misteriosos e realistas que nosso protagonista passou a ter depois de presenciar a queda do meteorito.

    Acredito que a habilidade do autor de descrever tão precisamente os detalhes, mas de uma maneira que não seja exaustiva é um ponto muito forte do livro. 
    Outro fator muito importante é a sintonia entre o protagonista e seus amigos, o que faz a gente sentir empatia por eles. Anthony, ou apenas Tom, é filho de um americano com uma brasileira. Ele mora nos Estados Unidos com os pais e os irmãos e por ter essa mistura, sofre com preconceito no colégio. E esse "deslocamento" é o que une Tom e seus amigos: Leo, Julia e Natasha. Na aparência, todos podem ser bem diferentes, mas a amizade é verdadeira e muito forte.

    Eu sinto muito potencial nessa história e quero muito poder descobrir o que vai acontecer na vida de Tom e seus amigos depois da tragédia que acontece no terceiro capítulo. Pois é, não basta sofrer preconceito por ser mestiço, algo de muito ruim acontece na vida de Tom e é aí que fica o mistério: como tudo isso vai acabar?

    Deixo abaixo a sinopse do livro e o link para quem quiser adquirir o exemplar e me contar o que acontece. (mentira, eu não quero spoilers).

    "Após anos se sentindo um completo estranho, Anthony pensa que poderá deixar o passado para trás ao ir para a faculdade. Tudo parece perfeito até que, durante um acampamento, ele e seus amigos presenciam a queda de um meteorito. Agora em posse de um colar feito de rocha estelar, Anthony passa a ter sonhos cada vez mais realistas com um mundo fantástico e sombrio, dominado por um Imperador que usou ciência para conquistar um reino antes repleto de magia.
    Neste mundo ameaçado, a magia está se esvaindo desde que os Titãs foram aprisionados nos céus por um feitiço que utilizou o sangue da fênix, a criatura mais poderosa do universo. Agora, com a ajuda de um grupo de aliados improváveis, Anthony tem a missão de romper os selos da fênix e descobrir quem ele realmente é"

    E aí, o que acharam da premissa? Alguém já conhecia esse livro?
    Beijinhos e até a próxima
    . 5 de jul de 2018 .

    Qual imagem que lhe vem na cabeça quando ouve a palavra "Querubim"? Talvez algo delicado, com fisionomia infantil e pequenas asas? Certamente era o que me vinha na mente quando ouvia essa palavra. Tudo mudou depois que li "A Rebelião da Luz".

    Acho que já mencionei nesse post que conheci a obra da autora Martha Ricas na feira da Unesp, que aconteceu em Abril desse ano. Foi a primeira edição da feira e estava bem movimentada. Assim que coloquei meus pezinhos na feira, comprei uns 3 livros num Stand só. Dei uma volta (o lugar não era tão grande, afinal) e já estava quase indo embora quando parei no Stand da Editora PenDragon apenas para dar aquela famosa "olhadinha". Eis então que a autora Martha me abordou e me apresentou seu livro (que foi esse da foto). Ela me contou um pouco da história e quando me disse que tinha a trilogia, não hesitei em comprar os três logo de uma vez! E, apesar da história como um todo envolver três querubins guerreiros, não precisa ser lida em sequência. Eu li esse primeiro - porque me apaixonei pela capa - e vou dividir com vocês minha opinião!


    Antes de mais nada, preciso dizer que os querubins da Martha são querubins guerreiros. Sendo assim, eles lutam e usam armas - poderosas, diga-se de passagem - então se desfaçam da imagem de querubim de covinhas fofinhas, certo? Dentre muitos querubins, somos apresentados a Salatiel, Ashira e Chaya - uma trindade imbatível, nas próprias palavras de Salatiel.
    Em "A Rebelião da Luz" conhecemos a história de Salatiel e também conhecemos Hana, a humana que nosso querubim guerreiro deve ajudar como parte da sua missão aqui na Terra, mais especificamente em Tóquio, no Japão.

    Hana é uma jovem que sofre de depressão. Não vê mais propósito na sua vida - suas inúmeras cicatrizes provam que já não se importa mais em viver. De origem nobre, Hana sempre se sentiu como um fracasso diante das constantes cobranças de seus pais (É fato comprovado: muitos jovens cometem suicídio no Japão por não aguentarem a pressão. Não é mencionado no livro, mas infelizmente existe até uma floresta onde pessoas costumam ir para tirar a própria vida). Depois de sofrer um acidente não proposital, Hana é socorrida por Salatiel e logo descobre que seu novo vizinho é diferente de todo o restante do mundo. 


    Aos poucos, vamos sendo apresentados aos segredos celestiais do querubim e vemos assim, seu passado ajudando Hana a superar seus traumas - tudo com um propósito maior, que vai muito além das batalhas que Sal teve com Lúcifer antes de sua queda e das próprias batalhas que Hana teve que enfrentar para superar o passado. 
    A escrita da autora é bem fluída. Tirando algumas cenas de ação e alguns detalhes que deram uma  leve travada na minha leitura, a obra no geral é muito boa. Ela se divide entre flashbacks do céu e o momento presente na terra. Você pode encontrar "A Rebelião da Luz" no site da editora PenDragon.
    É tão bom conhecer uma história tão bacana vindo de um autor brasileiro, não é? E vocês, qual autor nacional me indicaria?
    . 1 de jul de 2018 .

    Esse mês foi praticamente o mês da Harumi. Foi um mês cheio de novidades para a pequena e consequentemente para mim também (por isso andei meio sumidinha daqui...)

    Muitas Novidades para a Harumi
    Harumi começou a ir para creche no começo do mês e, com isso, meus horários acabaram mudando também. Antes eu acordava às sete para ir trabalhar, agora acordo uma hora mais cedo (o que pode não parecer muito, mas no fim, faz uma diferença enorme sim!).
    Como ela entrou em época de festa junina, com menos de duas semanas de creche já havia decorado a coreografia da dança que iria apresentar no dia 16 (só que ela não dançou e chorou de vergonha!). Eu tô bem contente com o desempenho dela. Ela chora na hora de entrar? Chora. Mas as professoras dela são um amor e ela já tem bastante amiguinhos, então eu fico bem mais tranquila. Aos poucos eu vou descobrindo que, por mais que eu queira colocar minha filha numa redoma de vidro, sei que é meu dever mostrar para ela que o mundo deve ser explorado. 
    Ah! Ainda nas novidades da minha pequena, batizamos ela nesse último domingo. Eu e meu esposo fizemos o acordo de que cada um escolheria alguém da sua família para batiza-la. No caso, eu escolhi a madrinha e ele, o padrinho (antes era o contrário, mas como o padrinho acabou indo para o Japão sem previsão de retorno, acabamos trocando). A cerimônia foi bem tranquila e depois a família se reuniu em casa para um almoço bem simples, mas que foi feito de coração ♥

    Cedi ao BuJo
    Fazia algum tempo que eu queria um BuJo, mas nunca encontrava um do jeito que eu queria (e quando encontrava, às vezes percebia que o valor era muito caro!) Recorri ao mestre dos magos (também conhecido como YouTube) e por lá mesmo achei um tutorial de encadernação e costura de páginas. Voilá! O resultado é esse abaixo. Gostaram?
    E sabem o que mais? Não estou fracassando na missão de mante-lo organizado! #palmasparamim
    Mãe, ganhei um sorteio!
    Pela primeira vez na minha vida, eu ganhei um sorteio. Sério, eu sou uma pessoa que não possui essa sorte de ganhar em sorteios e concursos e coisas e tal (nem em bingo eu ganho, para vocês terem uma noção). Mas esse mês, por um milagre, eu ganhei 💖 Participei do concurso de comemoração de 9 anos do blog Procurei em Sonhos da minha amiga Cássia e ganhei 3 livros lindos: "Com amor, Simon", "O Homem de Giz" e "Tudo o que Nunca Contei". Eu devorei "Com amor, Simon" em um dia e meio e eu me apaixonei por esse livro. Agora quero muito assistir o filme

    A Família aumentou
    No primeiro sábado do mês, uma gatinha apareceu bem em frente da nossa casa. Ela estava com uma aparência bem triste e estava bem sujinha também. Olha, eu confesso que nunca, nunquinha mesmo passou pela nossa cabeça adotar um gato (quem me acompanha pelo insta já viu o tamanho dos dois dogs que temos em casa). Mas não tinha como recusar ajuda. Ela não deve ter mais do que 3 meses de idade e só me passava pela cabeça que teríamos que arranjar um lar para ela, mas assim que colocamos ela pra dentro de casa, a Harumi se apaixonou e decretou que a gata seria nossa. Dia 02 agora ela completa 1 mês com a gente e aos poucos ela e os cachorros estão se acostumando uns com os outros (para nossa surpresa, amém!)

    Esse mês foi de adaptações e como eu já devo ter mencionado, eu sou meio atrapalhada. Às vezes demoro para "pegar no tranco", sabe? Então aquela toda minha programação de dois posts por semana acabaram indo pro beleléu. Mas um dia eu consigo, quem sabe.

    Mesmo que eu tenha me ausentado um pouquinho da web, ainda consegui publicar alguns posts legais, como o 3 autores nacionais que você precisa conhecer (foi o post com mais acesso esse mês!) e também conheci um blog incrível, o Helene in Between (para mim é um grande avanço conseguir acompanhar um blog gringo. Eu sempre quis praticar o inglês, mas acabava sempre adiando. Mas chega uma hora na nossa vida que devemos parar de fugir de certas coisas, não é? O próximo passo vai ser ler um livro em inglês. Alguém recomenda algum para nível iniciante?)

    E por esse mês foi tudo, pessoal. Como foi o mês junino de vocês? Muito quentão e pamonha por aí?